10 agosto 2013

Quem você pensa que é?

                       



Quem você pensa que é?


Eu demorei anos para me recompor. Demorei anos para recolher os cacos do coração que você quebrou. Você nem deve sentir frio. Sua alma está congelada. Então, definitivamente, você não tem direito de voltar quando quiser. Você foi embora sem, ao menos, me dizer adeus. Não me permitiu escolher. Não me deu a chance de te pedir pra ficar. Simplesmente se foi. Como todos foram.

Você não pode chegar como se nada tivesse acontecido. O que tem no seu coração? Gelo. Eu sei. Uma pessoa sem sentimentos. Uma pessoa que simplesmente pega o coração dos outros e transforma em pedaços. Você não tem o direito de questionar. Suas desculpas sequer existiram. Não culparei mais ninguém a não ser você e essa sua alma fria.

Você não deixou nada além de arrependimento e tristeza. Passei anos como uma morta que respirava. Morri por dentro e tinha que viver por fora. Tinha que sorrir quando queria chorar. E chorar quando eu queria desabar. Então, você não pode voltar. Eu não permito. Quem você pensa que é? Sai por aí destruindo minha vida e volta sorrindo como se nunca tivesse ido? Quem você pensa que é?

Ouvi, por muitas vezes, dizerem o quanto você estava bem. Levava sua vida. Andando e deixando cicatrizes por aí, não é mesmo? Eu aposto. Mas eu tentei aprender a viver sem você e quando te esqueço por algum tempo, você chega. Isso é tão injusto. É como quebrar o que já estava quebrado. Eu demorei tanto tempo pra fazer seu fantasma sumir de mim e em poucos segundos tudo vai para o lixo? Você acha isso certo? Com certeza acha. Porque você é egoísta. Só pensa em você e nas suas vontades efêmeras. Eu te dei tudo e você jogou pro alto. Então, por favor, não volte quando quiser.

Agora eu estou tentando me manter forte. Vou me manter longe de você. Longe do seu controle. Finalmente voltei a ter brilhos nos meus olhos e você não pode mais me tirar isso. Não me permito perder o que eu reconstruí. Não vou deixar você me derrubar como se derruba um castelo de areia. Eu desejaria esquecer todos os momentos que passamos só para me olhar no espelho e me sentir livre, mais uma vez.


Nenhum comentário:

Postar um comentário